Lisboa: Problema em teste clínico deixa pessoas internadas na França



Seis pessoas estão internadas em estado grave depois de terem participado, de forma voluntária, num ensaio clínico de um laboratório europeu ainda não identificado, revelou a ministra francesa da Saúde, Marisol Touraine, esta sexta-feira.

Sem revelar que tipo de medicamento estava a ser testado, Touraine informou que das seis pessoas hospitalizadas, uma está em estado de morte cerebral. Segundo a ministra, todos eram saudáveis antes de tomarem a medicação em teste, que foi administrada por via oral, escreve a agência Reuters.

"Este teste foi realizado num estabelecimento privado especializado em ensaios clínicos, com o objetivo de avaliar a segurança, tolerância e os perfis farmacológicos desta molécula, em voluntários saudáveis", sublinhou a governante. O "acidente grave", conforme disse a ministra à imprensa francesa, aconteceu numa clínica na cidade de Rennes, na Bretanha.

De acordo com a TF1, os doentes foram internados no início da semana. A iTele adianta que o medicamento em teste era um analgésico à base de canábis.

O Figaro indica que os testes clínicos estavam a ser conduzidos na Biotrial e teriam sido pedidos pelo grupo português Bial, informação que o DN está a tentar confirmar.

O estudo estava, segundo o Ministério da Saúde francês, na primeira fase, em que os participantes, saudáveis, tomam a medicação para despistar eventuais efeitos secundários e o foco principal é a segurança. Nesta etapa, o grupo de voluntários é tipicamente menor: nas fases dois e três, o medicamento é administrado a grupos maiores para avaliar a sua eficácia.

O jornal bretão Ouest-France escreve que a empresa Biotrial é reconhecida no sector e recruta "em permanência" voluntários para testes clínicos há 25 anos. Não produz medicamentos, mas conduz os ensaios para os grandes laboratórios farmacêuticos europeus e todos os participantes nas pesquisas são submetidos a um exame médico completo e são incluídos mediante a luz verde de um comité autorizado pela agência francesa de segurança do medicamento, um equivalente ao Infarmed português.

A ministra da Saúde desloca-se esta sexta-feira de urgência a Rennes, onde irá falar à imprensa. O ensaio clínico foi entretanto suspenso e todos os voluntários que participaram foram chamados para serem submetidos a exames.

Um inquérito já foi aberto na procuradoria de Paris e a agência nacional do medicamento francesa decidiu proceder a uma inspeção técnica no centro de pesquisa.






Fonte: dn.pt 15.01.2016
Gosto? Compartilhe com os amigos:
Share on Google Plus

Sobre o Migre Notícias

A Notícia migrando e inovando cada vez mais...
Postar um comentário